Blog

pixel2013

Passada a euforia do Natal e da Páscoa, o que fica? Ah, se todos os meses tivesse ao menos uma data dessas, não é mesmo? E como sobreviver ao nosso verão africano, com chocolates derretendo à sombra e ninguém com vontade de comer chocolate? Infelizmente o mercado de chocolates, como qualquer outro, também sofre com a sazonalidade negativa, ou seja, aquele período em que as vendas caem bastante. Veja aqui 6 dicas importantes para driblá-la e vender chocolate o ano inteiro.

 

Explore as datas comemorativas secundárias.

O Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia dos Namorados não se comparam à Natal e Páscoa para a venda de chocolates aqui no Brasil – talvez porque o presenteado seja um só e portanto, merecedor de um presente mais caro, na ideia do consumidor. Mas ainda assim essas datas podem render boas vendas, mas é preciso se preparar com antecedência e oferecer produtos dentro da temática. A sugestão é fazer produtos com ticket mais alto, estilo presente mesmo: cestas com flores, caixas de madeira ou revestidas com couro e tecido, kits com bebidas. Tudo isso acompanhando seus melhores bombons e trufas, é claro.

Outras datas a explorar são: Dia do Trabalho, Dia da Secretária, Dia das Crianças, Dia do Professor, Dia dos Avós, Dia do Amigo, Dia do Cliente. Já tive clientes que queriam presentear médicos e psicólogos nos seus dias. Se você quiser ter mais ideias, basta checar o calendário de datas comemorativas. Aqui se encaixam melhor as lembrancinhas, ou “pequenos mimos”.

O início de uma nova estação também pode ser uma oportunidade para lançar algum sabor diferente ou produto com embalagem especial. O que importa é oferecer novidades, algo essencial nesse mercado, para manter as vendas aquecidas.

 

Tenha produtos que atendam demandas frequentes.

Casamentos, nascimentos e aniversários acontecem o tempo todo, bem como eventos corporativos. Essas ocasiões demandam produtos para consumo no evento e também lembrancinhas para os convidados.

Se especializar em lembrancinhas pode ser uma boa ideia, mas é preciso estar preparado para oferecer uma boa proposta para o cliente. Isso inclui desenvolver o produto, pensar nas embalagens, na possibilidade de personalização e também no custo-benefício, já que as compras normalmente são em quantidades maiores. Tabletes pequenos, mini caixas com 1 a 4 bombons ou trufas e chocolates em saquinhos de tecido são algumas ideias para essas ocasiões.

 

Adapte-se à sazonalidade da melhor forma possível.

Alguns chocolatiers preferem não trabalhar com chocolates no verão. Em algumas regiões pode ser bem complicado mesmo. Mas se você mantiver o seu espaço climatizado e com locais adequados para armazenamento do chocolate, providenciar transporte refrigerado até o cliente e repassar as instruções de armazenagem para ele, vai conseguir atravessar o verão numa boa.

O maior problema é que a vontade de comer chocolate no verão diminui. A saída é oferecer sobremesas geladas como sorvetes, caldas, mousses, verrines, bebidas achocolatadas. Se você não tiver um local adequado para servir os clientes, você pode fazer ações com parceiros e oferecer esses produtos no espaço deles.

 

Diversifique o portfólio.

Ofereça produtos que não precisem de datas ou ocasiões especiais para serem consumidos. Chocolates aqui no Brasil não são encarados como alimento pela maioria das pessoas, são mais associados com o ato de presentear ou com a formalidade de um evento. Mas todos os dias as pessoas consomem bolos, bolinhos, brownies e pão-de-mel. Ofereça esses produtos em embalagens individuais e econômicas.

 

Ofereça conveniência.

Pessoas de fora da sua cidade podem querer presentear amigos e parentes da sua cidade e muitas vezes não o farão por falta de alternativas (além das floriculturas, que acabam cumprindo essa tarefa). Essas pessoas vão precisar de um produto que esteja a pronta entrega ou que seja rápido de fazer, embalagem especial com cartão personalizável e serviço de entrega ágil.

Aqui vale o mesmo que foi falado sobre lembrancinhas; é preciso estar preparado para atender, com sugestões de produto, preço e forma de pagamento na ponta da língua. Já atendi diversos clientes de outros estados que me ligavam de manhã e queriam a entrega para a parte da tarde, ou no máximo para o dia seguinte.

 

Faça mais ofertas.

Você pode aumentar a frequência de ofertas em períodos de vendas fracas. Mas atenção: para isso você precisar estar seguro que a sua precificação está correta, ou seja, você conhece o custo e o preço dos seus produtos, bem como a margem para descontos.

Evite usar essa estratégia em excesso para não prejudicar a imagem da sua empresa nem viciar os clientes em descontos.

 

Uma última observação: não importa qual das dicas acima você vai seguir, mas capriche na divulgação! Poste nas redes sociais, divulgue para a sua lista de e-mails, invista em anúncios no Google. E faça isso com frequência, para que o seu público assimile tudo o que você oferece.

 

Você já baixou o e-book gratuito “12 dicas importantes para você montar o seu negócio de chocolates”? Pegue agora mesmo a sua cópia clicando aqui.

  1. […] Continue a leitura aqui no blog! Veja 6 dicas para driblar a sazonalidade no mercado de chocolates. […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.